DESPOJAMENTO

Dei­xa ir,
Abra­ça o por­vir,
des­co­la,
do que é noci­vo,

Sen­te,
Na alma da gen­te,
a leve­za do cri­vo
a penei­rar o exces­so.

Suces­so,
É Amar sem sacri­fí­ci­os,
E ser sem arti­fí­ci­os.

Des­po­ja­men­to,
Sem fun­do de ruí­do,
O acen­to
Agu­do
do fun­do.

Seguir

Paula Lamares

Depois fui amanhecendo, um fiozinho de mim por ali afora, dias adentro de varanda ao colo. Até que comecei a pegar aos poucos na rédea do enfado, a realidade menos pegajosa e morna, devagarinho a vestir-me de mim:... Acendia-se as primeiras luzes na serra. Se me desse na veneta hoje voltaria a escrever. Desde então não paro de nascer.
Seguir
Ple­a­se fol­low and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *